Meio ano de Windows

Estou utilizando o sistema da Microsoft há pouco mais de meio ano. Neste tempo já me sinto confortável para dar algumas opiniões sobre o mesmo. Vou criar alguns tópicos e desenvolver cada um deles, bora?!

Como cheguei até aqui?

Pergunta interessante não? Uma vez que quem me conhece sabe que desde que me encontrei no mundo da informática sempre fui defensor do Linux. Por alguns anos fui Mac user mas o alto custo me fez desistir de atualizar.

Ao longo de anos mexendo com Linux, sempre fui muito curioso, instalava uma ou outra distro, formatava zilhões de vezes… até que me achei no Fedora. Uau, que sistema operacional incrível! Em 2015 a empresa que eu trabalhava fechou, como eu era o mais velho da casa, meu acerto seria alto e a empresa estava quebrada, herdei algumas coisas, dentre elas 2 Macs: um Mac Mini que vendi pouco tempo depois e um Macbook Air 11″ que tenho até hoje mas parei de o utilizar para desenvolver.

Desde 2016 venho exclusivamente utilzando MacOS como sistema principal mas sempre tinha um PC com o Fedora pronto para qualquer desafio. Pois então, com minhas responsabilidades aumentando nos trabalhos que vinha realizando, o porte dos sistemas desenvolvidos cresceram no mesmo ritmo, aí o Air começou não mais dar conta do meu ritmo, tive de trocar.

iMac, meu querido iMac…

Não é nenhum segredo que os computadores da Apple são caros, no Brasil, demasiadamente caros, diga-se de passagem. Então restou comprar um usado. Também não é nenhum segredo assim como um carro usado, você pode ter muita sorte ou muito azar. No meu caso, a foi a segunda opção!

Comprei um iMac 21″ 2011, apesar de velho, uma senhora máquina, desempenho fenomenal, audio e video incrível, pena eu ter comprado de uma pessoa que não tinha boas intenções. No dia da compra, testei e tudo funcionou perfeitamente, chegando em casa, tudo ok. Mas notei que depois de muitas horas ligado, ele apresentava alguns detalhes, mas nem liguei, achei que era porque eu tava forçando, afinal de contas, meu Air já tinha ficado de lado pelo mesmo motivo.

Mas não, os sintomas se agravaram e depois de nem 2 semanas de uso, simplesmente parou de vez. Começou com a tela oscilando a iluminação e acabou parando por fim. Rodei um jogo horrível (Goat simulator) que chutou a iluminação no máximo e, depois de 5 minutos a backlight simplesmente sumiu. Resolvi colocando meu monitor. Daí em diante eram desligamentos repentinos, demora ao ligar – não lentidão, demora mesmo – por vezes ficava 2, 3 minutos pressionando o botão liga/desliga.

Prejuízo

Levei o iMac para assistência e minhas suspeitas se confirmaram: o iMac estava todo remendado, parece que só tinham arrumado para passar pra frente. O técnico avaliou e me ofereceu 500 reais para retirada de peças. Vendi na hora! Prejuízo de quase 2k, paguei 2.4k à vista e recebi 500 reais de volta.

Só vendi porque tentei contato com o vendedor, informando o ocorrido mas o mesmo livrou-se da culpa: Você testou meu amigo, comprou porque quis, tava funcionando. Lição aprendida: não confiar em alguns poucos minutos na tomada, em uma próxima ocasião, se existir, vou pedir para o vendedor deixar ligado por alguns dias, e mandar print de um “uptime” no terminal, pra ter certeza que o mesmo não foi desligado durante a negociação. O iMac que comprei só começou a apresentar oscilação na backlight depois de mais de 12h ligado e quando fui na casa do vendedor, ele ligou na hora pra eu testar.

Analisando, eu bem que devia ter desconfiado do preço. Máquinas do mesmo porte estão à venda hoje entre 3.5k e 5k… no entanto, paguei 2.4k.

Mas, vamos voltar ao tema, Windows!

O começo com Windows

Depois do prejuízo que tive, precisei de outra máquina para trabalhar pois o MB Air não mais aguentava o que eu precisava rodar. Em Julho de 2020 comprei um PC gamer de entrada com Windows. Inicialmente pensei em utilizar o Windows puramente pelo medo de perder a garantia  – ok, já sei do argumento que não perde garantia, tá?! – me dei essa oportunidade. Instalei tudo que eu precisava e comecei trabalhar.

Logo nos primeiros dias vieram algumas boas impressões. O Windows 10 está maravilhosamente melhor que as demais versões que já utilizei e abaixo segue alguns dos pontos que vejo como destaques deste período.

Stack de desenvolvimento

Hoje trabalho exclusivamente com PHP, até esbarro uma ou outra coisa em Android mas meu stack de trabalho é 100% PHP. Muitos anos atrás, quando ainda tava no meu curso técnico, tentei instalar tudo na “unha” e quem disse que eu consigo? Era o Windows XP e, mesmo com todo o suporte dos professores, o negócio simplesmente não fluiu, tive de recorrer ao Xampp.

Hoje, o negócio foi muito mais simples, até demais. Instalei o Git, PHP, mysql, xdebug, certificado SSL, habilitei umas extensões e instalei o composer. Feito, tudo funcionando.

E o docker? Preciso ser sincero, hoje não o utilizo porque, de momento, para o projeto que venho coordenando e dispendendo todas as minhas horas do dia, docker não faz falta, tudo funciona perfeitamente bem sem. No entanto, tenho docker instalado aqui rodando algumas coisinhas, mas o principal do meu desenvolvimento tá instalado na mão, diretamente no Windows mesmo, nem utilizando WSL. E posso garantir que tudo tá funcionando maravilhosamente bem.

Para rodar a aplicação, um php -S localhost:8080 resolve. Mantenho um php.ini bem próximo às instâncias AWS que utilizamos e tudo corre bem. Como temos uma equipe trabalhando na refatoração de uma de nossas maiores aplicações, por lá o stack já está todo com Docker e Symfony, quando chegar o momento, esta também será minha realidade.

Segurança

Sempre ouvi dizer que o Windows era inseguro por ser mais utilizado, ser mais visado, etc. A primeira coisa que fiz foi pagar a licença do Avast premium para ter a sensação de segurança, mesmo o Windows já tendo sua própria camada com o Windows Defender.

Mas com o tempo utilizando Windows percebi uma coisa: o Windows não é inseguro, o que o torna inseguro é o que o usuário faz no mesmo. Atualmente toda e qualquer instalação do Windows requer que o usuário permita acesso em nível administrador para o executável. Se concedida a permissão para um app duvidoso, o estrago seria o mesmo se o usuário estivesse num Linux ou Mac.

Manutenção

Uma das coisas que me surpreendeu no Windows é a estabilidade do sistema operacional. Quando era usuário de Linux eram constantes as formatações seja por atualizações mal sucedidas ou por algum erro que não conseguia reverter e a solução era mandar tudo pro espaço e recomeçar.

Depois que comecei trabalhar com o MacOS, nunca mais tive esse tipo de problema, as atualizações do Mac também são muito estáveis, pra se ter uma ideia, meu Macbook Air possui a mesma instalação desde 2014, apenas sofre as atualizações, mas nunca precisei pegar um pendrive e começar tudo do zero, tanto que, mexendo nas “entranhas” do sistema, ainda há vestígios de coisas que o dono anterior instalou como pacote adobe e outras coisas que designers utilizam.

Desde que estou no Windows, já peguei umas 2 ou 3 atualizações grandes e sempre tudo saiu muito bem. Não tive drivers perdidos, nada parou de funcionar, não teve alguma configuração que fiz errada sem conseguir reverter… rodando lisinho há mais de 6 meses.

No meu trabalho, muitos dos devs usam Linux, alguns poucos apenas que usam MacOS e Windows. É bem comum ver os Lin-users formatando suas máquinas de tempo em tempo, independente da distro, todos os meses tem pelo menos uns 2 formatando tudo. Desde que passei a usar MacOS e agora Windows, não me preocupo mais com formatações, meu foco fica no trabalho.

Vendo meus colegas de trabalho, acreditei que era eu que fazia algo muito errado pra ter que constantemente formatar, mas mesmo utilizando uma distro estremamente estável como o Fedora, sempre tive problemas com atualizações. Era comum atualizar para a nova versão e depois de um dia inteiro perceber que algo estava corrompido, faltando ou simplesmente coisas que funcionavam pararam de funcionar. Aí era eu num dia atualizando, no outro fazendo backup e formatando novamente, colocando a versão mais nova fresquinha, sem resquício de instalações antigas. Criei até um shell-script pra agilizar o processo, de tão recorrente que o mesmo era.

Compatibilidade

Este tópico deixei logo abaixo de manutenção por ser quase que um complemento. Desde que comprei o PC com Windows, tudo sempre funcionou super de boa, a única coisa que me deu um certo trabalho foi o receptor wireless do controle do Xbox 360, no mais, tudo foi muito tranquilo. Este ponto, vejo que é um grande acerto do Windows. Por mais que as coisas tendam a ser plug´n play, alguns periféricos possuem um aprimoramento ou mesmo algum software pra configurar para que se tire o melhor proveito, e nisso, o Windows ganha de longe de qualquer outro, mesmo do MacOS.

Um exemplo bem legal que não consegui fazer no Linux nunca é utilizar as 2 saídas de audio simultaneamente. Com o mesmo hardware rodando Linux (instalado em um SSD externo) se plugo as caixas de som na parte traseira do gabinete, o fone, que está plugado na parte frontal, perde a funcionalidade. Já no Windows eu posso deixar ambos funcionando. Assim para ouvir música deixo nas caixas de som e quando entro em call, apenas baixo o volume das caixas para evitar eco e ouço pelo fone… sem plugar nem desplugar nada, tá tudo ali, funcionando em paralelo, prático, como eu gosto.

Eu gosto das coisas funcionando em plenitude e, o fato de não ter que ficar plugando e desplugando coisas pra entrar em uma call me agrada demais, lembrando que estou falando de um PC, não note. Assim mantenho tudo conectado, estando sempre pronto para qualquer ocasião.

Entretenimento

Aqui vem de longe o quesito que o Windows ganha de todo e qualquer S.O: Entretenimento, mais precisamente, jogos. Ok, sei que tem ótimos jogos para MacOS e mesmo pelo Linux da SteamOS, mas, rodando Windows, tive all-in-one: trabalho, comunicação e lazer numa máquina só, sem ter que rebootar a máquina para escolher outro S.O. ou ficar com microfone ruim durante uma call.

O fato de ter o Xbox 360 parado, com um defeito que não permanece ligado por muito tempo, me trouxe uma vantagem: uso o seu controle no PC. Apenas comprei o receptor wireless, e tenho meu Xbox no PC. Com o gamepass, muitos dos jogos que já jogava no xbox agora estão disponíveis no PC também. E mesmo os jogos mais novos que acabei comprando, todos são 100% compatíveis com o controle. Não tenho a necessidade de jogar com mouse e teclado em 100% dos jogos que curto.

Isso é tudo p-pessoal

Ao longo destes pouco mais de 6 meses imerso no sistema da Microsoft, consigo dizer que, uau, o Windows é sim um bom sistema operacional. Ainda hoje, com a Microsoft apoiando fortemente o Linux, vejo devs, principalmente, com um certo ódio pelo Windows. Entendo, já estive naquele lado também. Mas o que foi uma tentativa apenas, acabou por tornar o Windows meu S.O principal, deixando até de lado o encanto do MacOS.

Se puder dar uma dica, eu diria para experimentar 😉

 

Menu