wordpress

Quem me conhece sabe que eu sempre “desço a lenha” no wordpress, mas peraí, será que ao menos eu mesmo sei o porque de não gostar do mesmo?

Pra quem não conhece o wordpress é um CMS amplamente utilizado na web sendo seus utilizadores desde simples blogueiros à grandes empresas.  Surgido em 2003 vem desde então juntando uma legião de usuários que fogem completamente do simples blog, o qual muita gente ainda acredite que este seja seu principal foco.

Acredito eu que eu não goste do wordpress por causa de toda “mágica” que parece ser executada por debaixo dos panos, mas existem mais coisas e eu vou listá-las a seguir.

  1. Muita gente usa – não que o fato de bastante gente utilizando seja ruim pra mim, o que eu acho ruim são as inúmeras vulnerabilidades que isto emprega (não critiquem ainda, no momento dos pontos positivos esclarescerei…)
  2. Código bagunçado – isto realmente é algo que dificilmente mudarei de ideia a respeito do wordpress, logo mais também esclaresço o porquê disto.
  3. Muita mágica – particularmente não gosto de coisas que acontecem fora do meu controle.
  4. Banco de dados bagunçado e inseguro – Ao ver o banco de dados do wordpress dá até arrepios pois quase tudo nele é um post e relacionamentos não existem. Isto faz com que se algum registro seja excluído manualmente no banco de dados ocorra a change de inúmeros outros tornarem-se órfãos
  5. Plugins, plugins, plugins – pra tudo existe plugins, e normalmente são de baixa qualidade.
  6. Snippets, snippets, snippets – isso é uma mão na roda ao mesmo tempo que um tiro no pé. Assim como os plugins, existem snippets de péssima qualidade que não só são feios a nível de código como podem comprometer o desempenho de seu site. O pior de tudo isto é que existem inúmeros profissionais que tiram seu dinheiro disto, ou seja, conseguem um site pra criar, usam wordpress todo com snippets de forma rápida, mas nem sempre com a melhor qualidade possível.

Ok, agora que já expressei os pontos que vejo com maus olhos chegou o momento de pelo menos justificar os mesmos e tentar defender o wordpress.

  1. O fato de muita gente utilizar de forma errada não significa que a ferramenta seja ruim. Ela torna-se muito mais visada por crackers por causa disso mas se você cuidar da qualidade do seu desenvolvimento há uma grande change de seu site estar fora risco de um ataque.
  2. O código realmente deixa a desejar no quesito design. Porém temos de lembrar que o wordpress surgiu em 2003, e, qualquer um sabe como era o nível do PHP nesta época. Quando as coisas evoluem de forma rápida é muito fácil surgirem “monstros”, isto dificilmente vai mudar de uma hora pra outra no wordpress, o que temos que fazer é apenas acostumar-se, ou melhorar e contribuir com o projeto.
  3. Existe realmente muita mágica no wordpress, parte desta mágica eu acho boa, pois como o próprio princípio da orientação a objetos nos diz, “se ‘você’ conhece como algo é feito, está trabalhando de maneira errada”. O que ainda não gosto e dificilmente vou demorar pra gostar (e se gostar) são as consultas em exagero ao banco de dados que toda esta mágica faz.
  4. O banco de dados realmente não possui um relacionamento explícito sequer. Quando digo isto, digo de possuir foreign keys garantindo a integridade dos dados. No início deste ano tive um curso de CakePHP com o Thiago Belém e o mesmo comentou que o ator responsável pelo banco de dados tem de ser SUA aplicação, ou seja, o banco deve servir estritamente para guardar dados. A forma como estes serão armazenados, relacionados e tratados para exibição depende totalmente da aplicação. Visto esta aula do Thiago, percebo que é justamente isto que o wordpress faz, ELE garante a integridade dos dados que manipula. Existem porém plugins e temas mal-feitos que não seguem esta mesma convenção.
  5. Uma coisa que acredito que ajude bastante pra evitarmos código de baixa qualidade tanto em design como em desempenho é analisar de forma mais crítica quais plugins utilizar. Lembre-se, não é o fato de um plugin ter 5 estrelas no seu ranking que faz dele um bom plugin. As pessoas que julgam nem sempre podem ter conhecimento de qualidade de código.
  6. Com relação aos snippets basta seguir a dica dos plugins, analisar com cuidado o que está pretendendo utilizar.

 

O que resumo disso tudo?

Penso que eu ainda devo amadurecer muito em programação. O fato de particularmente não gostar do wordpress como muita gente não faz dele algo ruim e sim me faz um programador ruim que ao invés de estudar, buscar e compreender a lógica do mesmo fico reclamando pelos cantos por não saber o utilizar da forma adequada.

Realmente é algo bastante radical mudar o pensamento sobre algo que não se gosta, mas estou tentando e pretendo em breve voltar a escrever coisas boas sobre o wordpress.

😉

Leia também: Programação não se resume a if e else


Andre Cardoso

Pai do Gab e da Mel, desenvolvedor PHP, co-autor do livro TDD com PHP (www.tddcomphp.com.br) e palestrante. Apaixonado por código de qualidade e resultados fantásticos.